Ícone Consulta NFe

Notícias > Sete dicas imperdíveis para medicamentos controlados

Sete dicas imperdíveis para medicamentos controlados

Sete dicas imperdíveis para medicamentos controlados

Apesar de amparado por uma detalhada legislação, o processo de armazenamento e dispensação de medicamentos controlados ainda é objeto de muitas dúvidas entre os profissionais. Por isso, decidimos separar sete conselhos imperdíveis sobre o tema, com a colaboração dos coordenadores farmacêuticos de importantes redes brasileiras.

As recomendações foram enviadas por Clério Silva (Drogaria Moderna), Cristiane Feijó (Farmácias Pague Menos), Karina Henrique (Farmácia Permanente) e Marco Túlio Machado (Drogaria Araujo). Acompanhe as dicas.

  1. Na Receita de Controle Especial (Branca), medicamentos controlados podem vir juntos de não controlados, exceto no caso de antibióticos.
  2. A ritalina (para déficit de atenção e hiperatividade) só deve ser vendida no receituário Amarelo A3, com quantidade de caixas para o tratamento de até 30 dias
  3. A sibutramina (para emagrecimento) deve ser prescrita em receituário Azul B2 e estar acompanhada de um termo de responsabilidade preenchido pelo médico e assinado pelo paciente, com tratamento para até 60 dias
  4. De acordo com a Lei nº 9.965 de 27 de abril de 2000, anabolizantes devem conter na receita o CID da patologia e o CPF do médico
  5. A notificação de receita especial é válida somente no estado em que foi emitida. Para aquisição em outra unidade federativa, precisa estar acompanhada da receita com justificativa do uso
  6. A talidomida (sedativo, anti-inflamatório e hipnótico) deve ser prescrita em formulário próprio de cor branca, intitulado Notificação de Receita de Talidomida, acompanhada do termo de responsabilidade fornecido pelo médico
  7. Caso haja uma requisição de medicamentos injetáveis, podem ser fornecidas e prescritas no máximo cinco ampolas, de acordo com a Portaria 344
Fonte: http://www.assistenciafarmaceutica.far.br

Comentários